Companheiras de Seleção Brasileira homenageiam Ruth de Souza

compartilhe agora

Mais que companheira de Seleção, quem teve a oportunidade de ter Ruth de Souza como parceira defendendo o Brasil sofre nesta terça-feira, 13 de abril, com a notícia da partida da nossa guerreira. Aos 52 anos, Ruth nos deixou por complicações da Covid-19. Ela estava internada desde o início do mês em Três Lagoas, Mato Grosso do Sul, e não resistiu à doença.

Por onde passou, Ruth fez amiga, colecionou títulos. Com Brasil, venceu o Pan de 1991, em Havana, disputou a Olimpíada de 1992, em Barcelona, e foi campeã mundial em 1994. Suas amigas, suas companheiras, de alguma forma, encontraram forças para uma última palavra de despedida. Juntas, elas mantém um grupo de WhatsApp das campeãs mundiais de 1994, onde até hoje, quase 30 anos depois, conversam e se encontram sempre que possível, o que não ocorreu mais desde o início da pandemia.

Acervo

Dalila

“Nossa Ruth se foi, que triste. Um super astral, sempre fazendo piada, a gente sorrir. Que pena, perda inestimável. Guerreira, raçuda. Uma mulher de garra mesmo. Que pena. Mas, ela vai deixar muita saudade. Nos próximos encontros, nossa, com certeza vai fazer muita falta para a gente”.

Magic Paula

“Perdi uma amiga, com uma história de vida de muitos desafios, mais jamais perdeu sua doçura e sempre com seu jeito humilde e eficiente na convivência em grupo. Dia muito triste para mim. Ruth fazia parte da minha família e sempre recebida com carinho, como merecia. Que ela faça esta passagem com muita luz”

Roseli

“Minha amizade com a Ruth tem 40 anos. Cheguei em Piracicaba aos 12 anos, ela já estava lá. Eu morava na República do lado da dela, e a Ruth me acolheu como uma irmã mais nova. Jogamos juntas no clube, seleções, ela sempre muito sincera, nos contagiava com sua alegria e maneira simples de ser, me ligava sempre. Perdi uma irmã, estou muito triste e abalada. Ruth vai fazer muita falta, como serão nossos encontros sem ela? Tinha um coração enorme, sei que está em um bom lugar”

Alessandra

“Muito difícil falar da Ruth. Esse falecimento é um choque para mim. É mais que uma amiga, foi uma irmã. Lembrando nos primeiros treinamentos como foi mãezona comigo quando cheguei na Seleção. Me auxiliando, como tinha que fazer, o que estava certo, o que estava errado. As reuniões de pivôs no Mundial de 1994. Muitas alegrias, dedicação, treinamento juntos. Não se foi só uma companheira de quadra. Foi uma irmã. Tá sendo um dia muito triste para mim. Muito mesmo. Mas, lembrar dos momentos felizes que passei ao lado dela, dos ensinamentos que ela me passou. É triste. Somos quase da mesma idade. Perder uma companheira assim. Ruth vai fazer muita falta para mim”

Marta Sobral

“Notícia triste para o basketball brasileiro. Ela foi campeã mundial, Pan-Americana, defendeu muitas cidades. Infelizmente temos essa notícia triste. Que ela descanse em paz, fique em um lugar tranquilo. Que possa ajudar os familiares dela onde estiver. Notícia triste não só com a gente, do basquete, são todas as famílias do Brasil. Passando pela mesma situação. Temos que nos cuidar, tomar todos os cuidados possíveis. Jogamos juntas em várias cidades, companheira de garrafão. De quarto. Passamos muitas coisas juntas na Seleção. Quando Hortência machucou, a Rutão carregou as malas dela. Ela levava as cotoveladas lá embaixo, e nunca se ligava. Mas agora, que ela faleceu, fazem homenagens. Nosso país é assim. Perdi uma amiga da vida e do basquete. Ela era minha irmã. Da minha família. Que descanse em paz”.

acervo

Miguel Angelo da Luz

“Primeiro, a Ruth foi super importante, no aspecto técnico e tático. Fazia os bloqueios para os arremessos. Dominava a tábua. Estava sempre com sorriso no rosto. Pronta para colaborar, apaziguar tudo. Incentivando as mais novas, como Alessandra, Cíntia, Leila. Ela era uma alegria para a gente. Todo mundo queria ficar perto, abraçando ela. Uma grande perda para o nosso convívio. Na comemoração dos 25 anos, entre o grupo, era a mais celebrada. Todo munndo queria saber como ela estava. Está todo mundo triste e chateado por esse fato. Ela era uma alegria. O riso dela era uma constante. Não tinha tempo ruim. Lá em cima, vai alegrar muita gente. Disciplinada. Determinada”.

Hortência

“Infelizmente recebemos a notícia que nossa grande amiga e companheira, a Ruth, se foi, e uma atleta que nos ajudou muito a ser campeã do mundo. Acompanhamos por todo esse tempo a angústia, angustiadas mesmo com as notícias dos familiares no nosso grupo das campeãs mundiais no WhatsApp. Acompanhamos passo a passo tudo que aconteceu, torcendo de longe para que ela segurasse essa onda. Mas não foi possível. O que temos a fazer é agradecer o que ela fez pelo basquete feminino. E que Deus receba ela de braços abertos. O basquete está triste. E vamos rezar para que ela seja recebida com festa lá no céu”.

Janeth Arcain

“Recebo com tristeza essa notícia. Até mandei para as meninas, para lembrarmos dela sempre com aquele sorrisão, aquele jeitão que ela tinha, sempre amigona, sempre contando piadas, sorrindo, falando coisas bacanas, lembrando de coisas que passávamos anteriormente quando estava na Seleção Brasileira. Sempre fui uma amigona dela. Tenho lembranças muito boas. Tinha conversado com ela até um tempo antes dela se internar. E aí fiquei muito triste com a notícia da internação e agora com o falecimento dela. É isso. Lembrar da Ruth com aquele sorriso, aquela alegria dela. E o quanto ela gostava de fazer o bem para as pessoas”.

Helen Luz

“Dia muito triste. Temos os nossos grupos das campeãs do mundo. Estávamos em oração desde que ela foi internada. Para que saísse dessa. Mas, infelizmente a vontade de Deus é suprema. Perda lamentável. Ruth é uma querida. Muito. Todo mundo amava a Rutão. Espirituosa. Pessoa que contagiava positivamente o ambiente em que ela estava. Só posso deixar aqui as boas recordações que tenho da Ruth. E é com essa memória dela, sorriso lindo, inigualável, que queremos deixar agora registrado em nossa mente. Deixo todos os meus sentimentos à família. Não deve ter sido fácil vivenciar essa Covid, tentando sobreviver. Meus sentimentos a cada um deles. E que a Rutão esteja em nossos corações. Não presente, mas em alma. Só deixou boas lembranças”.

Adriana Santos

“Momento difícil de falar, estou muito triste, coração bem partido. A Ruth era uma menina muito generosa, é assim que eu vou lembrar dela. Quero falar da Ruth alegre, companheira, com sorriso no rosto. Farrista. Conheci ela em Piracicaba, quando eu tinha 16 anos, ela tinha 18. E na primeira noite ela já veio trazer uma pizza para comermos na república. Desde lá tenho uma afeto muito grande pela Ruth. Ela me apelidava de um monte de coisas e falava: como pode um francês gostar dessa magrela, essa bocuda, essa Olívia Palito. E eu falava, sou tudo isso e você me ama. Tínhamos um carinho muito grande uma pela outra. Só vou lembrar de coisas boas. Ajudou o Brasil a ser campeão mundial. Parecia ter cara de brava, mas era sensacional. Que Deus a receba de braços abertos. Apesar da simplicidade, ela também era muito inteligente. Sacadas boas. Sempre com muito humor. E estar perto de alguém assim é muito bom, te coloca para cima”

Fonte: CBB

compartilhe agora

Comments

comments