Jogadores do Operário revelam dois meses de salários atrasados

compartilhe agora

Elenco revelou dificuldades financeiras e clube diz que patrocinador máster parou de repassar os recursos

Os torcedores do Operário tiveram uma notícia preocupante às vésperas de enfrentar o Urso pelas quartas de finais do estadual 2017. Os jogadores do Galo revelaram nesta sexta-feira que estão há dois meses sem receber salários e alguns estão com dificuldades de abastecer suas famílias. As informações foram repassadas ao site Globoesporte/MS.

Veterano e com passagens por vários clubes do país, Rodrigo Grahl fez um resumo da situação dos companheiros de time. “Tem atletas no elenco com dificuldade de levar alimento para dentro de casa. Não podemos ver um companheiro nosso chorando porque o filho não tem o que comer em casa. O grupo tem se ajudado mutuamente, emprestando dinheiro ou abrindo mão de receber sua parte. Mesmo assim, em nenhum momento esse grupo deixou de trabalhar. Não podemos ficar à mercê de uma empresa que não cumpre seu contrato. Entendemos as dificuldades que a diretoria enfrenta, respeitamos isso, mas queremos que todos saibam que estamos com dois meses de salários atrasados”, disse Grahl ao site.

Outros jogador que passou por grandes times e foi o considerado o melhor jogador da temporada passada em Mato Grosso do Sul, Eduardo Arroz espera que a situação se resolva o quanto ante. “Queremos que essa situação seja resolvida o mais breve possível. Somos cobrados em campo e damos resultados. Estamos sendo profissionais até o limite. Mas se queremos que o futebol de Mato Grosso do Sul evolua, temos que expor uma situação como essa. São pais, filhos, maridos longe de suas casas, e que não recebem há dois meses. Como treinar com a cabeça legal, desse jeito?”, disse Arroz.

A versão da diretoria do Operário é a seguinte: o patrocinador master (Company) que também leva o nome do campeonato em patrocínio à FFMS e árbitros, parou de repassar o dinheiro e com isso, o clube se vê a mercê. “Queremos tratar essa questão da forma mais transparente possível, tanto com os jogadores como com a torcida e até mesmo a sociedade. E com isso, esperamos que esse episódio sirva como um marco no futebol de Mato Grosso do Sul, para que futuros investidores possam tratar o futebol com a mesma seriedade que nós temos tratado”, explicou o presidente Estevão Petrallas ao Globoesporte.

Entre as medidas adotas foram acionar a Company à justiça e esperar por uma resposta da empresa até a próxima quarta-feira (4). Além disso, a diretoria disse que tentará novos patrocínios e repassará a renda dos jogos para os jogadores.

Primeiro colocado de seu grupo na primeira fase, o Operário enfrenta o Urso de Mundo Novo fora de casa neste domingo no jogo inaugural do confronto válido pelas quartas de finais. A volta acontece no sábado seguinte no estádio Morenão.

 

Fonte: Gazeta MS/Renato Giansante com informações de GE/MS
compartilhe agora

Comments

comments