Top 20 curiosidades sobre o São Paulo que todo torcedor deveria saber

compartilhe agora

1. O São Paulo teve praticamente três datas de fundação: 26 de janeiro de 1930, quando surgiu o São Paulo da Floresta, reunindo ex-jogadores, dirigentes e torcedores do Clube Atlético Paulistano e da Associação Atlética das Palmeiras (que não tem nada a ver com o Palmeiras de hoje); 4 de junho de 1935, quando depois da fusão do São Paulo da Floresta com o Clube de Regatas Tietê, foi extinto o futebol no novo clube e sócios, jogadores, torcedores e dirigentes, inconformados com a decisão, criaram o Clube Atlético São Paulo; e, finalmente, 16 de dezembro de 1935, quando vinte dedicados são-paulinos resolveram enfrentar as dificuldades financeiras que o Clube Atlético São Paulo atravessava e formaram sua primeira diretoria, mudando o nome para São Paulo Futebol Clube.

2. O primeiro jogo oficial do São Paulo Futebol Clube aconteceu em 25 de janeiro de 1936, contra a Portuguesa Santista, no Parque Antártica. Vitória por 3 x 2.

3. Horas antes do jogo, correu a notícia de que a partida estava proibida pela Secretaria da Educação. Era dia de desfile militar e não podia haver jogo de futebol em São Paulo. O tenente e farmacêutico Porfírio da Paz, um dos fundadores e diretor de esportes do novo clube, tomou um táxi e foi direto à Avenida Paulista, local do desfile. Revoltado, subiu ao palanque e exigiu do secretário Cantídio Sampaio a liberação do jogo. O secretário atendeu à exigência de Porfírio e a ordem foi passada num receituário médico.

4. Da fundação até hoje, o São Paulo sempre teve as mesmas cores, a mesma bandeira, o mesmo uniforme e o mesmo distintivo, desenhado na própria reunião de fundação do clube por Walter Oliver.

5. Joaquim Simão Gomes, um dos primeiros funcionários da história do São Paulo, se autoproclamava o inventor da bola de futebol branca. À época todas eram marrons e ele, cansado das dificuldades para procurar a redonda no meio do mato, resolveu pintar as bolas do clube de branco.

6. O São Paulo foi o primeiro proprietário do Estádio do Canindé. O local pertencia a um clube da colônia alemã e foi comprado pelo Tricolor em 1944. Na verdade, na época tratava-se apenas de um campo para treinamentos. Em 1956 o clube vendeu o terreno para a Portuguesa, que construiu aí sim um estádio.

7. Durante a administração do São Paulo, vivia ali no CT do Canindé um bode chamado Augusto. Em 1949, o São Paulo, pensando em deixar o CT mais apresentável, plantou eucaliptos no local. Augusto comeu todas as mudas e iniciou uma guerra política que dividiu o clube em dois grupos: o “Tira o bode” e “O deixa o bode”. Augusto ficou.

8. No início dos anos 1940, Corinthians e Palmeiras eram os melhores times do estado. Dizia-se que para saber quem seria campeão paulista bastaria jogar uma moeda para o alto. Se desse cara, daria Palmeiras. Se desse coroa, daria Palmeiras. E o São Paulo? “Só se a moeda cair em pé”, brincavam os dirigentes dos dois rivais. Em 1943, o São Paulo foi campeão e os tricolores passaram a ironizar: a moeda caiu em pé…

9. Primeiro ídolo da história do futebol brasileiro, Friedenreich jogava no São Paulo. Em 1932 ele lutou na Revolução Constitucionalista e chegou a ter sua morte anunciada por rádios e jornais em todo o Brasil. Mas ele não morreu em combate e voltou a jogar naquela mesma temporada.

10. Em apenas três ocasiões o título de campeão brasileiro foi decidido nos pênaltis. Em duas delas o campeão foi o São Paulo: em 1977, contra o Atlético Mineiro; e em 1986, contra o Guarani. Em ambas o Tricolor levantou a taça jogando fora de casa.

11. O primeiro gol de goleiro da história do São Paulo não foi marcado por Rogério Ceni. Em 1995, dois anos antes do goleiro-artilheiro marcar o primeiro gol de sua carreira, Moscatto anotou um gol de pênalti contra o Uberlândia por um torneio amistoso.

12. O São Paulo é o único time brasileiro a ter disputado a final da Libertadores por três anos consecutivos. Depois de ter sido campeão em 1992 e em 1993, o Tricolor perdeu a decisão em 1994.

13. O São Paulo, aliás, é o time brasileiro com mais finais de Libertadores disputadas: foram seis. Três títulos (1992, 1993 e 2005) e três vices (1974, 1994 e 2006).

14. Além disso, o Tricolor é o único brasileiro a ter sido três vezes campeão mundial.

15. Depois de ter sido campeão da Libertadores em 2005 derrotando o Atlético Paranaense na final, o São Paulo enfrentou uma verdadeira sina de eliminações para equipes brasileiras no torneio: em 2006 perdeu a final para o Internacional; em 2007 caiu para o Grêmio nas oitavas; em 2008, foi superado pelo Fluminense nas quartas; em 2009, novamente nas quartas, perdeu para o Cruzeiro; em 2010 até ganhou do Cruzeiro, mas caiu para o Internacional na semifinal; em 2013 o algoz foi o Atlético Mineiro, nas oitavas; em 2015 novamente o Cruzeiro, novamente nas oitavas. A “maldição” só foi quebrada em 2016, quando o São Paulo ganhou do Atlético Mineiro nas quartas e foi eliminado pelo Atlético Nacional, da Colômbia, na semifinal.

16. O São Paulo viveu 78 anos sem jamais ter conquistado um tricampeonato. Quando conquistou, foi logo o do Campeonato Brasileiro: 2006, 2007 e 2008. À época, antes da unificação dos torneios realizados entre 1959 e 1970, foi o primeiro clube a conquistar o Brasileirão por três anos consecutivos.

17. Maior ídolo da história do São Paulo, Rogério Ceni chegou ao clube em 1994. Em 1997, marcou seu primeiro gol. Como titular, foi duas vezes campeão paulista, uma vez campeão do Torneio Rio-São Paulo, três vezes campeão brasileiro, uma vez campeão da Copa Sul-Americana, uma vez campeão da Libertadores e uma vez campeão mundial.

18. Apesar do extenso currículo de glórias internacionais, o São Paulo nunca foi campeão da Copa do Brasil. Em parte, isso se deve ao fato do clube ter disputado todas as edições da Libertadores entre 2004 e 2010, quando viveu seu período mais glorioso. Nessa época, os times que jogavam a Libertadores não podiam disputar a Copa do Brasil.

19. Telê Santana, além de campeão paulista, brasileiro, bi da Libertadores e bi mundial com o São Paulo, foi o técnico tutor de Muricy Ramalho no início dos anos 1990. Uma década mais tarde, entre 2006 e 2008, Muricy se tornaria, no São Paulo, tricampeão brasileiro.

20. A história do treinador com o clube, no entanto, começa justamente junto com Telê nos anos 1990. O “Expressinho”, espécie de Time B do São Paulo, treinado por Muricy foi campeão da Copa Conmebol em 1994. Três anos mais tarde, foi ele quem autorizou Rogério Ceni a cobrar a falta que originou o primeiro gol de sua carreira. 

Fonte: Guia dos Curiosos

compartilhe agora

Comments

comments