Três-lagoense Silvânia Costa é bicampeã paralímpica

compartilhe agora

Campeã na Rio-2016, Silvania Costa repetiu o feito nos Jogos Paralímpicos de Tóquio-2020 e conquistou a medalha de ouro no salto em distância T11

A três-lagoense Silvania Costa conquistou na noite desta quinta-feira a medalha de ouro do salto em distância T11 feminino nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, repetindo o feito conseguido no Rio de Janeiro em 2016. Para vencer a prova, a atleta saltou 5,00 m, dois centímetros a mais do que a marca com que conseguiu a vitória há cinco anos.

A diferença da Rio-2016 para os Jogos de Tóquio é que Silvania Costa só teve cinco meses de treinamento. Suspensa por doping, ela não participou dos Parapan-americanos de Lima e do Mundial de 2019 e não teria disputado a Paralimpíada caso ela tivesse acontecido em 2020. 

Silvania Costa foi suspensa após um exame antidoping dar positivo para o estimulante dimetilamilamina, também conhecido como DMAA. A atleta conseguiu comprovar que seu guia na época, que foi suspenso por quatro anos, foi o responsável por lhe passar o suplemento contaminado, mas mesmo assim ela foi obrigada a ficar 20 meses fora das pistas e só pôde retornar às pistas em fevereiro de 2021.

Depois de queimar duas duas primeiras tentativas, Silvania Costa assumiu a terceira colocação ao alcançar 4,76 m em seu terceiro salto. A liderança, até então, era de Asila Mirayorova, do Uzbequistão, com 4,89 m, seguida por Yulia Pavlenko, da Ucrânia, com 4,86 m.

Na quinta rodada de saltos, Silvania Costa chegou a sair do pódio ao ser ultrapassada pela compatriota Lorena Spoladore, que saltou 4,77 m. Mas, logo em seguida, a recordista mundial da prova cravou os 5,00 m que lhe garantiu o bicampeonato paralímpico.

Na última rodada de saltos, Asila Mirayorova conseguiu melhorar sua marca, chegando a 4,91 m, mas não conseguiu ultrapassar a brasileira. Yulia Pavlenko terminou com a medalha de bronze, enquanto Lorena Spoladore foi a quarta colocada

Fonte: Olimpíada Todo Dia /Foto: Wander Roberto/CPB

compartilhe agora

Comments

comments